fbpx

O câmbio é sempre um assunto complexo e que gera muitas dúvidas para quem viaja. Entender alguns pontos importantes sobre o tema é fundamental para que você evite perrengues na hora de viajar ao ficar sem dinheiro. Mesmo que pareça uma simples “troca” de dinheiro, não é bem assim que as coisas funcionam.

O câmbio envolve a venda de uma mercadoria e muitas vezes o valor oferecido é inferior ao que nosso produto vale. Confira algumas dicas para não se perder quando o tema for câmbio e fazer o seu dinheiro render no exterior.

Dicas para o seu dinheiro render no exterior

1. Fazendo o seu dinheiro render no exterior

Existe um valor máximo de R$ 10 mil que você pode comprar em dinheiro vivo. Caso deseje levar mais, é necessário comprovação de renda declarando os valores na Receita Federal. Programe a compra das moedas aos poucos, gradualmente, antes da viagem para encontrar os valores mais baixos, evitando as flutuações no valor. Além disso, você pode receber em casa as suas notas, já que algumas empresas possuem um serviço de delivery.

2. Utilizando cartões pré-pagos

Os cartões pré-pagos funcionam como um cartão de débito no exterior. Você pode comprá-lo e ‘carregá-lo’ com o quanto quiser. Importante dizer que ele pode ser recarregado mais de uma vez logo, se o crédito nele acabar, você não ficará sem. É uma opção mais cômoda e segura, já que pode ser bloqueado em caso de perda.

3. Leve consigo alguma quantia em dólar

Para evitar surpresas desagradáveis é bom levar dólares ou euros com você na viagem. Algumas moedas não são aceitas em todos os lugares, como é o caso do real. Ter o dólar consigo pode evitar que você tenha problemas e fique sem dinheiro.

4. Duas opções são o melhor

Para ter uma viagem mais segura, o mais adequado é levar as suas economias em duas opções, de preferência a maior parte num cartão pré-pago e uma parte menor em espécie. A desvantagem do primeiro é justamente o IOF alto, cerca de seis vezes maior que do dinheiro vivo. Apesar disso, tenha em mente a segurança que o cartão te dá ao permitir que o valor seja bloqueado em caso de perda.

 

5. Sacar dinheiro não é vantagem

Como geralmente é cobrada uma taxa ao retirar células em caixa eletrônico, essa não é uma boa opção para os turistas. O cartão pré-pago sai como uma opção mais em conta.

Além disso, caso seja extremamente necessário levar os valores, recomenda-se ir comprando os dólares aos poucos e após uma boa pesquisa de preços, visto que os valores podem alterar no decorres dos dias.

Existem vários bancos e corretoras que oferecem o serviço de câmbio. Na hora de planejar a viagem, certifique-se de conhecer a maior quantidade possível desses serviços e encontrar o melhor preço.

O valor pode variar bastante ao longo dos dias, e tudo isso pode fazer uma enorme diferença na hora de colocar na ponta do lápis todos os gastos com a sua viagem internacional.

6. Levar uma moeda forte pode ser melhor

Apesar de ser interessante reduzir a quantidade de operações de câmbio, pode ser mais interessante comprar dólares e levar ao seu local de destino.

Não tenha medo de chegar num país novo sem a moeda local: todos os aeroportos possuem casas de câmbio, e com o dólar em mãos pode sair mais vantajoso adquirir a moeda local.

As taxas nos aeroportos não costumam ser as melhores, mas são casas de câmbio que oferecem mais segurança. Esteja atento a confiabilidade dos locais para não ter eventuais prejuízos com notas falsas.

7. Não caia na tentação do cartão de crédito

Mesmo que pareça uma baita vantagem dividir suas compras de viagem em suaves prestações ao longo do ano, não caia na tentação se está tentando fazer o seu dinheiro render no exterior. O IOF é alto e a taxa de câmbio só é feita quando sua fatura fecha, o que pode acabar te surpreendendo de uma forma não muito legal.

8. Moedas exóticas são caras

Se você vai para um destino que possui uma moeda local diferente dos famosos euros e dólares, não caia na tentação de fazer o câmbio no Brasil. Aqui, as moedas diferentes e mais difíceis de encontrar podem sair bem mais caras, e se você quer economizar o melhor é comprar uma moeda mais comum mundo à fora como o euro e o dólar e trocar quando você chegar ao seu destino.

Se está em dúvidas, com certeza a opção mais simples é comprar dólares – sempre pesquisando o mais barato, claro – e levar ao destino. Sempre confira os custos do seu destino para saber quanto vai precisar gastar e tenha mais dinheiro disponível.

Deve-se ficar atento à conversão da moeda para onde se irá. Muitas vezes os valores são bastante atrativos se vistos em dólares, por exemplo, mas deve-se sempre fazer a conversão para considerar quanto efetivamente será gasto e, assim evitar surpresas.

É importante usar a internet a seu favor e sempre realizar pesquisas de preços sobre os melhores lugares para realizar suas compras.

Além disso, deve-se atentar às recomendações das lojas para que não tenha prejuízos com defeitos e/ou trocas. Caso você queira acompanhar mais dicas para o seu dinheiro render no exterior e dicas de viagens no geral, não deixe de acompanhar nosso blog e saber das novidades.