fbpx
Conheça Dicas Práticas para a Saúde do Viajante e Evite Problemas

Conheça Dicas Práticas para a Saúde do Viajante e Evite Problemas

Quando planeja-se uma viagem, uma das coisas que quase nunca passam pela cabeça é a saúde do viajante .

Mas para aproveitar da melhor forma suas férias fora de casa, você precisa estar atento para tornar a viagem o mais confortável possível quando o assunto é saúde.

Claro que nem sempre é possível evitar um mal-estar ou pequeno problema de saúde durante sua viagem, mas seguir algumas orientações pode evitar que você tenha problemas – ou pode ajudar a resolvê-los mais facilmente.

Se você irá realizar uma viagem internacional, precisa internacionalizar o seu cartão de vacinas e tomar as imunizações necessárias para a área que está conhecendo. O processo é simples.

 

Vacinas para garantir a saúde do viajante

É importante estar em dia com suas vacinas. Além disso, pesquise sobre a saúde do local que você irá viajar para saber se o país está com epidemias, se for o caso, é importante consultar seu médico para precaver-se, ele o ajudará a analisar:

  • Seu histórico de saúde;
  • Época do ano em que irá viajar;
  • Tipo de viagem;
  • Problemas com alergias;

 

Como internacionalizar o seu cartão de vacinas

Visite um Centro de Orientação para a Saúde do Viajante. Aqui no Portal da ANVISA você pode conferir algumas perguntas frequentes sobre o processo de emissão do seu Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). Fique atento, pois para locais onde a vacina de febre amarela é obrigatória, você deverá toma-la pelo menos 10 dias antes da viagem.

Mesmo que não vá viajar para o exterior, confira as vacinas necessárias para a área que for visitar dentro do Brasil. Algumas regiões brasileiras são endêmicas para algumas doenças, e para evitar problemas, é importante checar essas informações que estão disponíveis no site do Ministério da Saúde.

 

Prepare o seu organismo para a viagem

Atente-se à sua alimentação e imunidade antes de viajar. É interessante melhorar os hábitos alguns meses antes da viagem para garantir que suas defesas estejam funcionando melhor durante as férias e você não seja abatido por um simples resfriado.

Muitos produtos naturais e manipulados podem ajudar a fortalecer a imunidade e melhorar sua saúde. Chás, sucos, vitaminas… Consulte um médico para garantir que sua saúde esteja 100%.

 

Cuidado com o que come durante a viagem

Provar novos pratos, conhecer novos restaurantes. Esse é um dos principais roteiros quando se fala em viagem. Mas fique atento ao que come, pois grande parte das ocorrências relacionadas à saúde durante as viagens são causadas por intoxicações alimentares.

Evite comer em locais abertos como feiras e procure não ingerir alimentos crus durante sua viagem. As comidas de rua são uma fonte importante de contaminação.

Frequente restaurantes que possui boas referências, se possível. Se não conhecer o local, verifique as condições de higiene antes de pedir um prato e evite uma surpresa desagradável.

Mas os cuidados com a higiene não se restringem apenas aos restaurantes. Lembre-se de lavar as mãos com frequência e carregue sempre um pouco de álcool gel com você.

A água também é um potencial causador de problemas. Beba água mineral sempre que possível, e só beba água da torneira em locais confiáveis – esse é um hábito comum nos Estados Unidos e em muitos países.

 

Leve alguns remédios

Sabe a farmacinha que você mantem no banheiro de casa e te salva de muitas dores de cabeça? Leve consigo alguns desses remédios.

Analgésicos, remédios para enjoo e para dor de barriga são alguns que não podem faltar na sua mala. Pomadas para picadas e repelentes também são importantes.

Sempre leve a receita com você para evitar problemas no aeroporto. Alguns países podem solicitar a prescrição médica e é melhor prevenir.

Dependendo do seu destino, talvez uma caixa de primeiros socorros pode ser interessante. As farmácias já vendem os kits prontos, mas você pode montar o seu.

Remédios de uso contínuo devem ser os primeiros integrantes da sua bagagem, além de poderem ter seu valor encarecido durante a viagem, nem sempre é possível encontrar em qualquer lugar.

 

Seguro viagem

Mesmo que você já tenha viajado sem ter nenhum problema de saúde por diversas vezes, não se arrisque. Faça o seu seguro viagem com antecedência, pois ele pode te salvar de gastos inesperados com assistência médica. Além disso, os seguros são obrigatórios para entrar em alguns países.

Se você já possui algum problema crônico de saúde, consulte o seu médico antes de realizar qualquer viagem, pois ele é o profissional mais adequado para te dar orientações.

Caso você adoeça durante a viagem, diminua o ritmo, beba muito liquido e evite aglomerações por alguns dias até sua saúde melhorar. Assim, você melhora mais rapidamente e evita que outras pessoas adoeçam – caso você esteja resfriado, por exemplo.

Não hesite na hora de procurar a sua seguradora na hora de usar o seguro viagem. Leia todo o contrato antes de viajar e saiba como acionar a empresa caso passe algum sufoco com a sua saúde.

 

Concluindo

Quando falamos em saúde, sempre podem ocorrer imprevistos, portanto, prevenir-se é essencial. Com as dicas acima, você poderá evitar muitas dores de cabeça.

Ao chegar no destino, informe-se logo, sobre números de emergência e localização de hospitais e postos de atendimento para que saiba exatamente onde procurar em casos de emergência.

A saúde do viajante deve ser uma das prioridades na hora do planejamento de uma viagem.

Se você gostou do nosso artigo, compartilhe para que mais pessoas saibam como evitar problemas de saúde em sua viagem. Convidamos você a compartilhar conosco quais dicas mais usa antes e durante sua viagem.

Compras no exterior, o que saber para uma imigração tranquila no Brasil

Compras no exterior, o que saber para uma imigração tranquila no Brasil

Fazer compras no exterior é quase sempre um dos objetivos quando os brasileiros pensam em ir para fora do país.

Mas o tema é cercado por dúvidas: qual o valor máximo permitido, o que tem isenção e o que paga imposto.

A fiscalização tem aumentado cada vez mais, principalmente quando se trata de vôos vindo dos Estados Unidos.

Saber as entrelinhas e o que é permitido ou não é sempre importante na hora de planejar a sua viagem internacional, principalmente quando você quer adquirir um celular ou câmera mais modernos no exterior.

Para você não ter más surpresas e prejuízos em sua volta ao Brasil, algumas observações devem ser feitas, acompanhe conosco as mais importantes.

Valores máximos de compras no exterior

 

1. Quanto você pode comprar na ida

Não há limite de valor para as compras feitas nas lojas duty-free quando você for embarcar.

O cuidado que você deve tomar é que os impostos podem ser cobrados quando você retornar ao Brasil, principalmente sobre itens de tecnologia e eletrônicos.

Tudo que for comprado no momento do embarque já é considerado compra no exterior, e por isso pode ser taxado.

 

2. Compras no free shops internacionais

Também não há limite, de modo geral. Seja qual for o aeroporto que você passar, as compras podem ser feitas livremente, com exceção de cigarros e bebidas que podem ter quantidade máxima permitida em alguns países.

Lembre-se também que alguns desses itens que você adquirir fora do país podem ser taxados no retorno.

 

3. O máximo permitido em compras

O valor máximo permitidos em compras que você pode trazer do exterior é de US$ 500. Antigamente esses valores diziam respeito apenas a itens eletrônicos, mas hoje em dia leva em conta até mesmo roupas.

De maneira mais detalhada, existem algumas condições específicas. Você pode trazer alguns eletrônicos sem ser taxado e pequenos souvenirs de até 5 dólares, com um limite de itens iguais.

Apesar da maioria ainda conseguir passar pela alfândega com suas roupas novas sem problema algum, o melhor é se preparar para as multas caso os valores não sejam declarados.

Algumas das condições para não ter problemas é trazer bagagens proporcionais ao período da viagem.

Não é permitido trazer quilos e quilos de produtos de você fez uma viagem de apenas 2 dias.

Tudo que for considerado de uso pessoal estará isento de taxas. Remova as etiquetas e evite levar peças repetidas para não ser pego de surpresa.

 

4. Isenção para itens eletrônicos

É permitido trazer um relógio, um celular e uma câmera por fora da cota dos quinhentos dólares permitidos. Isso é aplicado apenas para UM item de cada, e devem estar fora da caixa e usados. Deixar os aparelhos antigos em casa e embarcar sem nada pode ser uma solução para quem quer trazer um aparelho melhor do exterior. Caso você não possa deixar os aparelhos em casa, recomenda-se levar a nota fiscal deles, para comprovar que não foram adquiridos naquela viagem.

Já iPads e notebooks não estão isentos da taxa, por isso fique atento.

 

5. Viagens terrestres

Já no caso de viagens terrestres, o valor máximo é de US$ 300. Viagens rápidas para cidades do Paraguai, por exemplo, não incluem a isenção dos itens eletrônicos citados acima, já que a regra considera que você precise dos itens durante a viagem.

 

6. Compras feitas no retorno ao Brasil

Quando você desembarcar, pode comprar 500 dólares além do valor já permitido pela cota,  no Free Shop Brasil, qualquer que seja o tipo de produto. A compra passará direto pela alfândega e pode ser ou não de uso pessoal.

Importante destacar que a regra só é válida no retorno, se você realizar compras na ida, o valor entrará no limite estabelecido.

ATENÇÃO! Crianças também possuem a cota no valor de 500 dólares mas os objetos deverão ser condizentes, por exemplo, não é possível incluir itens de bebida e tabacaria.

 

7. Fiscalização em Foz do Iguaçu

 No aeroporto de Foz de Iguaçu existe uma fiscalização na hora do embarque, e pode ser que você se depare com problemas na hora de mostrar que já possuía o item antes de chegar à cidade.

Além disso, devido à proximidade com o Brasil e os valores mais baixos, não raras vezes vemos notícias de pessoas tendo suas mercadorias apreendidas, portanto, evite esta situação mantendo suas compras no limite estabelecido.

Como funciona a Devolução de Imposto

Em algumas lojas na Europa e na Argentina são emitidas notas fiscais especiais para quem é turista, capazes de deduzir o Imposto de Valor Agregado (IVA). Ao realizar uma compra mínima na loja e preencher um formulário, você precisa passar no posto de devolução de imposto no aeroporto e apesar de trabalhoso o procedimento pode devolver até 15% do valor comprado.

Ultrapassou o limite de compras? O que fazer?

Ao retornar ao Brasil, declare os valores na alfândega. O valor cobrado será de 50% sobre o excedido. Ou seja, se você comprou um produto de US$1000, será cobrada uma taxa de US$250, 50% dos quinhentos dólares excedentes.

Se você decidir não declarar e for pego de surpresa, poderá ter que pagar 100% de multa em relação ao valor excedido. É possível pagar os valores em cheque ou cartão de débito.

Viajar gera sempre uma grande expectativa, principalmente aqueles que planejam fazer compras no exterior.
No entanto, para que o sonho não torne-se um verdadeiro pesadelo, é muito importante analisar a legislação do destino para onde pretende-se ir e estar atento às normas e limites impostos pelo própria legislação brasileira, evitando assim, prejuízos.

Caso você tenha dúvidas sobre compras no exterior e assuntos relacionados à sua viagem, ficaremos felizes em torná-la ainda mais tranquila e proveitosa, deixe seu comentário e procuraremos auxiliá-lo da melhor forma.

Como usar a internet no celular durante a viagem ao exterior

Como usar a internet no celular durante a viagem ao exterior

O dia da sua viagem chegou e você finalmente vai poder conhecer o tão sonhado destino, mas como você vai postar suas fotos preferidas, conferir os melhores restaurantes e atrativos se você não tiver internet no celular durante a viagem?

Confira como se manter conectado no exterior e não perca nada!

 

Poder usar aplicativos para descobrir quais linhas de ônibus e metrô pegar, não depender de mapas de papel e comer em um restaurante legal e barato são algumas das vantagens que a conexão internacional te proporcionam.

Viver sem internet é quase inimaginável nos dias de hoje e você não vai querer estar desconectado quando conhecer o país que tanto sonhava, não é mesmo?

Destinos urbanos como grandes cidades são os locais em que você mais vai precisar estar conectado, além das viagens de carro que você fizer por aí. Usar a internet no exterior vai te ajudar a planejar com antecedência o seu dia e fazer um roteiro de viagens mais legal. E claro, todos querem manter a comunicação e compartilhar as fotos da viagem.

Checar os horários de funcionamento de pontos turísticos e museus pode ser difícil sem estar online.

Como você já viu, são inúmeras as vantagens de permanecer conectado mesmo longe de casa – e nem é preciso pensar muito para perceber isso.

Os únicos casos em que pode não ser tão vantajoso ter internet no celular são viagens para destinos mais isolados, como viagens exóticas. Nesses casos, talvez só a conexão wi-fi que os hotéis disponibilizam já seja suficiente durante toda a sua viagem.

Usando a sua operadora para ter internet no celular durante a viagem

O que você deve saber logo de cara é: não use seu celular sem ter contratado um plano adequado antes.

As taxas que as operadoras cobram podem ser exorbitantes e praticamente proibitivas.

Ao contratar um plano adequado você pode até seguir essa opção, apesar de não ser nem de longe a melhor delas.

Essa é uma vantagem principalmente para quem não quer comprar um chip novo ou quer se manter conectado desde o aeroporto.

A qualidade da conexão não será das melhores quando o limite de dados for ultrapassado e você pode até passar sufoco quando precisar de sinal.

Usando o wi-fi

A maioria dos hotéis e estabelecimentos já oferecem a conexão wi-fi gratuitamente.

Cuidado com locais que tem uma conexão ruim. Em algumas redes, será necessário fazer login apenas uma vez para desfrutar da conexão em todas as lojas da franquia em alguns países.

Se você planejar e fizer o download de tudo que precisar, pode acabar nem sentindo falta de um outro plano de dados durante a viagem.

Se você quer postar fotos da comida local ao visitar um restaurante, é importante saber que a conexão nos restaurantes é mais comum nos países em desenvolvimento do que nos desenvolvidos.

Comprando um chip local

Se você quer desfrutar de uma conexão melhor com velocidades mais rápidas, talvez tenha que recorrer a essa opção.

Procure por um chip pré-pago numa loja de telefonia e esteja com o passaporte em mãos, pois pode ser necessário em alguns países e para algumas operadoras.

Essa é uma opção vantajosa para quem vai ficar pelo menos 5 dias no destino e precisa estar sempre conectado. As operadoras oferecem pacotes de dados semelhantes aos disponíveis no Brasil – e os preços não são tão altos.

Caso seu pacote acabe, você pode comprar outro no meio da sua viagem e garantir a conexão por mais dias.

Já se você não vai ficar muitos dias no local, essa não é uma boa opção. O tempo que você irá levar para comprar e ativar o chip com certeza não será vantajoso quando você colocar tudo na balança.

Chips que funcionam em vários países

Existem operadoras que possuem rede em vários países. Essas operadoras “virtuais” como a TravelSim vendem simcards que são capazes de se conectar em uma centena de países e você recebe o chip em casa.

O chip tem um valor bem caro (pode chegar até 100 dólares) e disponibiliza poucos dados para você usar. Essa só é uma opção considerável para quem viaja para vários países a trabalho e precisa passar seu número para uma empresa e acaba servindo nas próximas viagens que você fizer.

O EasySim4U disponibiliza um chip que funciona em mais de 140 países. É possível comprar o chip ainda no Brasil e, ao chegar ao destino, ele já estará funcionando, é um opção bastante vantajosa para aqueles que irão viajar para mais de um país, visto que não é necessário ficar trocando de chip.

Skype Wi-fi

Para utilizar esta opção, você precisa ter instalado o aplicativo no Skype no seu celular. Através da sua conta no skype, você precisará inserir créditos.

Importante ficar atento à esta opção pois o uso é cobrado por minutos, o que pode encarecer o uso.

 

Na era digital, ficar online é quase uma necessidade, para isso é preciso ficar atento às melhores formas utilizar internet no celular durante a viagem.

Manter contato com a famíliar, utilizar aplicativos de localização e atualizar as redes sociais são as ações mais realizadas pelos turistas que estão em viagem.

Pesquise dentre as opções que passamos, a que melhor atente às suas necessidades pois pode variar de acordo com o caso concreto

Possui alguma outra dica que não mencionamos para usar a internet no celular durante a viagem? Compartilhe conosco e, além disso, fique atento ao nosso site e receba muitas dicas para melhor aproveitar a sua viagem.

Dicas de câmbio para o seu dinheiro render mais no exterior

Dicas de câmbio para o seu dinheiro render mais no exterior

O câmbio é sempre um assunto complexo e que gera muitas dúvidas para quem viaja. Entender alguns pontos importantes sobre o tema é fundamental para que você evite perrengues na hora de viajar ao ficar sem dinheiro. Mesmo que pareça uma simples “troca” de dinheiro, não é bem assim que as coisas funcionam.

O câmbio envolve a venda de uma mercadoria e muitas vezes o valor oferecido é inferior ao que nosso produto vale. Confira algumas dicas para não se perder quando o tema for câmbio e fazer o seu dinheiro render no exterior.

Dicas para o seu dinheiro render no exterior

1. Fazendo o seu dinheiro render no exterior

Existe um valor máximo de R$ 10 mil que você pode comprar em dinheiro vivo. Caso deseje levar mais, é necessário comprovação de renda declarando os valores na Receita Federal. Programe a compra das moedas aos poucos, gradualmente, antes da viagem para encontrar os valores mais baixos, evitando as flutuações no valor. Além disso, você pode receber em casa as suas notas, já que algumas empresas possuem um serviço de delivery.

2. Utilizando cartões pré-pagos

Os cartões pré-pagos funcionam como um cartão de débito no exterior. Você pode comprá-lo e ‘carregá-lo’ com o quanto quiser. Importante dizer que ele pode ser recarregado mais de uma vez logo, se o crédito nele acabar, você não ficará sem. É uma opção mais cômoda e segura, já que pode ser bloqueado em caso de perda.

3. Leve consigo alguma quantia em dólar

Para evitar surpresas desagradáveis é bom levar dólares ou euros com você na viagem. Algumas moedas não são aceitas em todos os lugares, como é o caso do real. Ter o dólar consigo pode evitar que você tenha problemas e fique sem dinheiro.

4. Duas opções são o melhor

Para ter uma viagem mais segura, o mais adequado é levar as suas economias em duas opções, de preferência a maior parte num cartão pré-pago e uma parte menor em espécie. A desvantagem do primeiro é justamente o IOF alto, cerca de seis vezes maior que do dinheiro vivo. Apesar disso, tenha em mente a segurança que o cartão te dá ao permitir que o valor seja bloqueado em caso de perda.

 

5. Sacar dinheiro não é vantagem

Como geralmente é cobrada uma taxa ao retirar células em caixa eletrônico, essa não é uma boa opção para os turistas. O cartão pré-pago sai como uma opção mais em conta.

Além disso, caso seja extremamente necessário levar os valores, recomenda-se ir comprando os dólares aos poucos e após uma boa pesquisa de preços, visto que os valores podem alterar no decorres dos dias.

Existem vários bancos e corretoras que oferecem o serviço de câmbio. Na hora de planejar a viagem, certifique-se de conhecer a maior quantidade possível desses serviços e encontrar o melhor preço.

O valor pode variar bastante ao longo dos dias, e tudo isso pode fazer uma enorme diferença na hora de colocar na ponta do lápis todos os gastos com a sua viagem internacional.

6. Levar uma moeda forte pode ser melhor

Apesar de ser interessante reduzir a quantidade de operações de câmbio, pode ser mais interessante comprar dólares e levar ao seu local de destino.

Não tenha medo de chegar num país novo sem a moeda local: todos os aeroportos possuem casas de câmbio, e com o dólar em mãos pode sair mais vantajoso adquirir a moeda local.

As taxas nos aeroportos não costumam ser as melhores, mas são casas de câmbio que oferecem mais segurança. Esteja atento a confiabilidade dos locais para não ter eventuais prejuízos com notas falsas.

7. Não caia na tentação do cartão de crédito

Mesmo que pareça uma baita vantagem dividir suas compras de viagem em suaves prestações ao longo do ano, não caia na tentação se está tentando fazer o seu dinheiro render no exterior. O IOF é alto e a taxa de câmbio só é feita quando sua fatura fecha, o que pode acabar te surpreendendo de uma forma não muito legal.

8. Moedas exóticas são caras

Se você vai para um destino que possui uma moeda local diferente dos famosos euros e dólares, não caia na tentação de fazer o câmbio no Brasil. Aqui, as moedas diferentes e mais difíceis de encontrar podem sair bem mais caras, e se você quer economizar o melhor é comprar uma moeda mais comum mundo à fora como o euro e o dólar e trocar quando você chegar ao seu destino.

Se está em dúvidas, com certeza a opção mais simples é comprar dólares – sempre pesquisando o mais barato, claro – e levar ao destino. Sempre confira os custos do seu destino para saber quanto vai precisar gastar e tenha mais dinheiro disponível.

Deve-se ficar atento à conversão da moeda para onde se irá. Muitas vezes os valores são bastante atrativos se vistos em dólares, por exemplo, mas deve-se sempre fazer a conversão para considerar quanto efetivamente será gasto e, assim evitar surpresas.

É importante usar a internet a seu favor e sempre realizar pesquisas de preços sobre os melhores lugares para realizar suas compras.

Além disso, deve-se atentar às recomendações das lojas para que não tenha prejuízos com defeitos e/ou trocas. Caso você queira acompanhar mais dicas para o seu dinheiro render no exterior e dicas de viagens no geral, não deixe de acompanhar nosso blog e saber das novidades.